Quem sou

A trajetória da jovem mineira que vendia balões no shopping, tornou-se executiva e hoje é coach com formação internacional.

Você já viu alguém vendendo aqueles balões de gás na rua, no parque ou no shopping? Tem alguma lembrança da impressão que aqueles balões coloridos te trouxeram na infância? São encantadores, não é? Pra mim, eles significam sonhos. E não é só pela beleza e magia que provocam. Mas é porque foi com eles que minha história profissional começou. Sim, eu já fui uma vendedora de balões.

Aos 18 anos, a jovem do interior de Minas, acostumada à simplicidade da vida em uma cidade de 5.000 habitantes chamada Silvianópolis mudava-se para o estado de São Paulo. A filha do meio dos quatro frutos da união de Zé e Nilcéia, entrava na faculdade de Análise de Sistemas.

Coragem nunca me faltou, nem fé. Eu tinha uma vontade tão grande de conhecer novos lugares e aqueles balões da Disney vendidos no shopping eram o início do meu vôo. Viagem com turbulências. Em uma das voltas pra casa da minha tia em Santo André, depois do shopping fechado, sofri uma tentativa de estupro no caminho de casa. Com a proteção de Deus consegui fugir antes de algo pior acontecer mas naquele momento eu quase recuei, desejei voltar pra segurança da família e da pequena cidade. Mas essa foi , eu acredito, a grande decisão da minha vida. No segundo dia saí do quarto decidida a não permitir que ninguém me desviasse dos meus sonhos, e que a minha coragem e fé eram maiores do que o ocorrido, e eu era imensamente grata por ter saído sem nenhum arranhão. Vida que segue.

“É nos momentos de decisão que nosso destino é traçado.”
Anthony Robbins

A vida seguiu com novo endereço: a Avenida Paulista, aquele lugar mágico e caótico que me encantava pela TV e onde eu, adolescente, dizia que um dia trabalharia. Na capital, as escalas do meu vôo: cinco anos na TI na Petrobrás, depois 10 dos meus melhores anos profissionais no Banco Panamericano, na época o dono era o admirado comunicador e empresário Silvio Santos. Dias de muito trabalho, mas também de uma troca infinda de conhecimento. Alí, descobri um dom (sim, todos nós temos dons), que é o de ter empatia pelo próximo: pude apoiar muitas pessoas em seus diferentes momentos de vida, percebi que aquilo me fazia muito feliz…fazer com que as pessoas se desafiassem, e sorrissem mais, olhassem a vida com mais leveza…e como eu era gerente na área de TI , tinha uma equipe grande , sempre prezei por uma relação sadia e de muita confiança com as pessoas que trabalhei, e lembro de todos até hoje e foram um presente de Deus em minha vida. E eu sempre gostei muito de me conectar com as pessoas em todos os lugares. Não é por nada que em casa sou conhecida como a Maria Sorriso.

Dia a dia, a felicidade fazia (e faz) parte de cada segundo da jornada. Intuitivamente, fiz da minha vida uma história de ganhos diários. Digo isso porque esperar pra comemorar somente quando um grande sonho se realizar pode ser muito frustrante. Leva-se tempo para atingir grandes metas. Mas a decolagem chegou.

Passados 10 anos chegou o momento de novos desafios, e mais um novo sonho realizado: fui trabalhar numa das empresas que mais admiro , não só por contribuir com a evolução do mundo com inovação e tecnologia , mas por sua ética de atuação no mercado. Foram cinco anos e meio na IBM . Viajei muito a trabalho, conheci muitas pessoas de diferentes nichos de mercado, e em mais um momento de decisão , recebi uma proposta da IBM pra mudar de estado. Não conhecia a cidade, nem as pessoas, e muito menos tinha amigos por lá , mas não pensei nem 5 min pra dar a resposta e aceitei. Levaria minha fiel escudeira , a Java, minha Golden linda, mas o nosso ciclo de amor de mãe e filha na terra acabou quinze dias antes da nossa viagem, durante os 3 meses do processo de mudança , ela teve um câncer e morreu . Nem preciso dizer que foi um início doloroso . Quando fui morar em Brasília, senti em meu coração que era uma grande oportunidade, e sabia que independente do que encontraria no meu novo caminho, teria coragem pra enfrentar , paciência pra conquistar meu novo espaço, novos amigos, e principalmente manter minha alegria de viver das conquistas diárias com brilho nos olhos e muita fé.

“Você não é produto das circunstancias, você é produto das suas escolhas.”
Viktor Frankl

Foram cinco anos e meio de muita descoberta pessoal, apesar de ter começado a fazer um processo de autoconhecimento na terapia já alguns anos atrás, em BSB foi intensificado. E aí bateu muito forte a questão de me questionar se realmente eu estava no caminho da minha missão de vida que sempre bateu forte no meu coração. No início de 2016 a dúvida tomou conta do meu coração e já não dava mais pra não refletir profundamente no assunto. Eu queria tirar um ano sabático. Decidi fazer uma viagem sozinha para Itália e Portugal, para lugares que sempre quis conhecer (Lisboa, Nazaré, Fátima , Óbidos, Roma, Assis , Vaticano) e lá se foram 15 dias pensando muito em toda a minha história e como eu gostaria de continuar a escrevendo. Ah! Antes de viajar assisti o documentário do Antony Robbins, o maior coach do mundo, e ouvindo e o conhecendo através do documentário dei nome ao que palpitava dentro do meu coração há anos. Voltei de viagem já decidida de que pediria demissão e que a partir dali trilharia minha nova jornada de vida.

E a partir de setembro de 2016 comecei a jornada de treinamentos, participação em seminários, formação em Coach , três meses em Barcelona aprendendo um novo idioma (experiência maravilhosa) , durante esse tempo viajei por vários lugares , conheci muitas pessoas, fiz novos amigos e acreditei sempre que não importa a idade e nem quando você realizará seus sonhos, apenas não deixei de desejá-los e traçar metas e objetivos na direção deles.

E tudo que fiz e faço só é possível porque tenho uma família linda , irmãos que me fazem sentir amada diariamente, pai e mãe que me amam e ensinaram a ser uma mulher guerreira , corajosa , respeitando o próximo e ser grata por tudo que recebo diariamente na vida.

A distância entre sonho e realidade se chama ação.

Ah aqueles balões….se eles soubessem pra onde me levariam…hoje, um outro objeto tão lindo e redondo é o que me motiva: o globo terrestre. Olho pra ele e imagino a quantidade de lugares que existem neste mundo pra explorar, conhecer, viver experiências incríveis, e aí escolho um lugar, faço um roteiro voilá! , partiu para mais uma aventura….

Comparo o globo terrestre cheio de lugares pra explorar com o nosso mundo interior e suas emoções, inexploradas, intocadas. Se começarmos a olhar para o nosso mundo interno vamos descobrir muitos oásis, e principalmente uma energia que é capaz de fazer você realizar algo que jamais tenha pensado. Quando exploramos nossas emoções , quebramos as crenças que nos limitam, que afastam dos nossos sonhos, o que nos faz enxergar que o melhor cenário é o coração e a mente trabalhando juntos com todo poder (somos muito poderosos!), conduzindo a uma explosão de realizações em nossas vidas.

Agora eu te convido a vir comigo… explorar seu globo interior sem medo… mas se tiver medo, vem com medo mesmo. Dê seu primeiro passo para iniciar uma das viagens mais importantes e gratificantes de sua vida … vamos rumo ao AUTOCONHECIMENTO.